bg_mundo.jpg
TU PELO MUNDO
RIBEIRÃO PRETO
POR THIAGO SOUTO

Prepare seu fígado e a vontade de beber, pois vamos embarcar numa viagem especial para quem gosta de uma boa cerveja. Relaxa. A gente sabe que a nossa moeda não está competitiva, por isso não vamos te levar para uma tour pela Alemanha, Bélgica, Irlanda, Chéquia ou para algum pico nos EUA. Afinal, o que não falta no Brasil são roteiros cervejeiros de responsa. Santos mesmo tem se destacado como um destino cervejeiro, mas você também pode ir para Santa Catarina, Minas, região serrana do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e até ao Nordeste... são lugares onde a galera está produzindo cerveja de excelente qualidade. Mas eu pensei em um destino que eu conheço muito bem e que faz parte da minha história (afinal, eu nasci lá). Eu estou falando de Ribeirão Preto.

A cidade, que antigamente era conhecida como a Califórnia Brasileira, é uma das maiores do interior paulista. O clima quente, que é constante o ano todo, agregado à grande quantidade de faculdades e uma economia impulsionada pela produção de cana de açúcar, fazem da cidade um lugar perfeito para abrir uma cerveja gelada e reunir os amigos. Não é à toa que Ribeirão é uma cidade com muitos bares. E mais recentemente, a cidade tem voltado seus olhos para as cervejas especiais.

 

Choperia Pinguim

Mas para falar de presente, nós temos que falar de passado também. E nosso roteiro cervejeiro vai honrar este legado da cidade. Por isso, nosso ponto de partida é pela famosa Choperia Pinguim. A choperia é um ponto turístico da cidade, tendo sido fundada em 1936. Localizada ao lado do Theatro Pedro II, que é um prédio muito bonito com características dos anos 40. Aliás, a decoração da choperia também remete a esta época e alguns detalhes são especiais, como os pés das cadeiras que são pequenas patas de pinguim em metal e o brasão da choperia em latão em cada uma das mesas. Lá eles servem um chopp Antarctica tirado com maestria, o que fez deles o bar com o melhor chopp do Brasil por anos. A qualidade do chopp é tão excepcional que fez surgir uma lenda. Antigamente, há um quilômetro dali, existia a fábrica da cervejaria Antarctica e rolavam boatos de que o chopp ia direto da fábrica, através de tubulações, para o bar. Uma grande viagem na maionese, mas uma lenda que muita gente acredita até hoje.

Toca do Urso - Colorado

Há 15 minutos do Pinguim, mais ou menos 10km dali, fica nossa segunda parada: a fábrica da Cervejaria Colorado. Fundada em 1996, como um brewpub, a cervejaria é provavelmente a mais conhecida nacionalmente entre as cervejarias ribeirão-pretanas. Surgiu em uma época onde beber uma cerveja artesanal não era tão comum quanto hoje em dia e se destacou com cervejas que misturavam nas suas fórmulas mandioca, rapadura e até mel. Em 2015, a empresa foi comprada pela AMBEV, o que fez muita gente purista torcer o nariz. Mas se você não ligar pra isso, pode visitar a fábrica que fica na beira da Rodovia Anhanguera (vá de táxi ou aplicativo, por favor). Lá eles têm um tour pela fábrica (temporariamente cancelado por causa da pandemia), uma loja dentro de um ônibus (daqueles bem velhos que levam os boias frias para cortar cana) com souvenirs e um bar excelente, a Toca do Urso. Um lugar despojado, parece mesmo uma toca, abaixo do nível do solo. Bem no estilo do brewpub da Everbrew aqui em Santos, você pega um cartão e se serve de torneira com cervejas da fábrica e de outras cervejarias do Brasil. Da fábrica, eu recomendo a Indica (IPA) e Caium 016, que é uma versão da pilsen com mandioca da casa, mas vendida exclusivamente na região de Ribeirão. E a comida também é muito boa e minha dica fica por conta do bolovo!

1/1

Cervejaria Invicta

Do outro lado da cidade, na Avenida do Café, você encontra o outro bastião cervejeiro de Ribeirão Preto: a Cervejaria Invicta. Quando as pessoas começaram a beber IPAs no país, a Invicta ajudou a alavancar o estilo com cervejas lupuladas e rótulos coloridos. Fundada em 2011, a cervejaria cresceu, saiu de um antigo endereço na mesma avenida e hoje tem uma fábrica de respeito, produzindo inclusive para cervejarias ciganas. Lá eles também oferecem um tour guiado pela fábrica, onde você ganha um copinho e pode beber à vontade cervejas direto da “bica”. No bar, a dica é pedir a tábua de degustação para experimentar vários rótulos, mas se não quiser errar, pede uma Boss, que é uma Imperial IPA de respeito. Lá também é servida comida que combina muito bem com cerveja e eles também tem uma loja com camisetas, boné e, o que é mais legal, todo tipo de aparato e insumo para você começar a sua própria produção caseira de cerveja. Um incentivo para criar cada vez mais cervejeiros. Bem legal.

Cervejaria Lund

Só 15 minutinhos de carro dali, você pode visitar o brewpub da Lund, outra fábrica da cidade. O bar fica ao lado do novo Mercadão da Cidade, que também vale a pena dar uma passadinha. Aliás, essa é uma dica padrão para cidades do interior de São Paulo e de Minas, visite os mercados municipais! Tem muita coisa legal neles. Mas voltando à Lund. Ela é mais focada em estilos mais clássicos (a Pale Ale e a WitBier são daquelas para beber vários copos, garrafas e barris) e só recentemente tem expandido o leque para cervejas mais rebuscadas. Além disso, se você estiver com tempo (e dinheiro sobrando para o Uber), a cervejaria abriu um espaço bem diferente em Sertãozinho, cidade vizinha a Ribeirão, com muitas árvores e espaço para shows. 

Cervejaria Walfänger

E se você tiver mesmo nessa onda de sair da cidade, mas não quiser ir tão longe, você pode ir para Bonfim Paulista e visitar a Cervejaria Walfänger. Bonfim Paulista está para Ribeirão, assim como São Vicente está para Santos. Sabe quando as cidades cresceram tanto que se “encostaram”? Pois é, no caso, Ribeirão cresceu e “engoliu” Bonfim. Há 8 minutos de Ribeirão, logo na entrada da cidade, você encontra a cervejaria Walfänger. O nome já entrega, ela é uma seguidora do estilo bávaro. Misto de bar com cervejaria, onde você consegue ver a fábrica inteira sentado da sua mesa. Tudo fica ali à mostra como se estivesse numa vitrine de vidro. Se estiver sol e você quiser aproveitar o ar fresco bebendo uma Helles, tem um espaço à sombra das árvores para você sentar também, com direito a parquinho para as crianças. E a comida do lugar segue o estilo das cervejas, como wiener schnitzel e sanduíche de eisbein (joelho de porco).

1/1

Weird Barrel

 

Para encerrar nossa viagem cervejeira por Rebs (como chamam os mais íntimos) deixei o meu lugar favorito para o final. Bem diferente das outras cervejarias que eu citei acima, o Weird Barrel é um brewpub com uma temática pirata. Sim, piratas no meio do interior paulista. Um bar bem menor e meio escurinho, mas com cervejas que não ficam nenhum pouco atrás das cervejarias maiores da cidade. Sem contar toda a temática, que é seguida à risca, desde os nomes engraçados das cervejas, como a Naughty Grog (uma Black IPA envelhecida em barril de rum) e a Pirate’s Flip (uma IPA com gengibre), ao menu com porções meio malucas. É um lugar menos turístico, mas com certeza uma parada obrigatória para quem visita a cidade e gosta de uma boa cerveja.

Mas Ribeirão Preto vai bem além disso. Fora estes lugares, existem mais fábricas de cerveja, como a Pratinha e a SP-330, e um montão de bares com música boa e cerveja gelada. E mesmo se você não quiser encher a cuca de cevada todos os dias, a cidade tem bastante coisa legal para fazer, como parques bem arborizados, shoppings...de boa, não né? Deixa disso e vai beber cerveja, que esse é o tipo de turismo que a gente quer. E se for, me chama!

© 2016 by Revista TU