bg_mundo.png
TU PELO MUNDO
LENÇÓIS MARANHENSES
POR ISABELLE TORRES

Isabelle Torres, que foi a nossa gata da edição 022 da Revista TU, aparece mais uma vez nas nossas páginas. Vale lembrar que ela e o namorado Vitor já tinham dado as caras também na TU na edição 019, quando nos contaram como foi a exótica viagem para a Tailândia. Desta vez o casal foi conhecer uma das maravilhas da natureza brasileira, os Lençóis Maranhenses. Confira nas próximas páginas os relatos da viagem deles a este paraíso do Nordeste brasileiro.

Essa viagem estava no meu top três de curiosidades. Gosto de viagem com natureza e o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é um lugar que, quando você chega lá, tem a dimensão do quão mais mágico ele é do que você pode ver pelas fotos. Quando cheguei lá, fiquei impressionada! Para quem não sabe, os Lençóis são formados pelas águas da chuva, ou seja, as lagoas são só água doce, cercadas por dunas de areia fresca. Não é quente, mesmo sob o sol forte o dia inteiro. Então torna-se um ambiente muito agradável, pois até a temperatura das águas é gostosa, nem quente e nem gelada. É realmente incrível.

Mas uma coisa que preciso citar é: viajar para Lençóis é um perrengue! Não vejo ninguém citar isso, mas isso acabou se tornando uma surpresa negativa. É muito cansativo. Mesmo que você fique acomodado em um bom hotel, o caminho para chegar aos passeios leva pelo menos cinquenta minutos de ida e outros cinquenta minutos de volta! 

As cidades próximas ao Parque dos Lençóis, ainda estão crescendo. São três cidades com acesso ao parque. Uma delas é Barreirinhas, que é mais famosa e que tem mais estrutura (onde ficamos hospedados). Ela também tem o melhor centro gastronômico e hotéis. Tem a vila de Atins, que fica bem mais afastada, mas é mais próxima aos passeios para as lagoas, e tem Santo Amaro. De todo modo, todas as três são distantes do parque. O turismo só começou a se movimentar de uns anos para cá, então são ruas sem asfalto. Além disso, para ir até o parque tem que ir pelo meio do mato, muitas vezes passando por áreas de mangue. Não chega a ser ruim, pois no final das contas o passeio vale a pena, mas encarar é bem cansativo! Tenha isso em mente! Tanto que eu voltei quebrada! 

Para chegar às lagoas, você pode ir de carro, uma pick-up Hilux com bancos na caçamba, ou então em caminhões próprios para andar em dunas, pois precisam ser veículos muito potentes, com tração nas quatro rodas.

Existem muitas opções de passeios. O que eu mais gostei foi o passeio de quadriciclo, pois é um passeio bem completo. Você sai de Barreirinhas já com o quadriciclo e vai pilotando até chegar nas dunas. Vale lembrar que nesse passeio, não chegamos a entrar nas lagoas, mas passamos pelos locais. O passeio vai até as usinas eólicas (bem comuns nessa região do Nordeste, graças aos mesmos ventos que formam as dunas). É uma magnitude impressionante! Sempre tive curiosidade de conhecer e ver de perto. Nesse passeio também passamos pela praia. Não fomos muito à praia, estando em Barreirinhas, pois não é uma praia mega bonita, ainda mais comparando com as lagoas. De lá vamos para o Rio Preguiças, que corta o caminho. Lá é uma mistura de todas as faces da natureza, pois tem mar, lagoa, rio… e muitos animais. Vimos vários macaquinhos pelo caminho. Os macaquinhos são malandros, ficam pedindo comida. Não é o ideal, mas compramos castanhas para dar para eles. Tem também um barzinho, super agradável. Também durante o passeio de quadriciclo, passamos pelo povoado de Mandacaru, um lugar super procurado, com um farol e belas vistas para o mar. É um passeio muito gostoso, que dura o dia inteiro. Tem que estar preparado com protetor solar, roupa para sol, chapéu ou boné. Foi incrível! Acredito que foi dos melhores passeios que fizemos.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
1/1

Outros passeios muito bons foram a Lagoa Azul e a Lagoa Bonita. Lagoa Bonita não coloquei no meu Top 4, pois estava muito cheia. Porém, foi lá que vimos o pôr do sol e, sem dúvida alguma, foi um dos mais bonitos que eu já vi na minha vida! Surreal! A Lagoa Azul é linda (leia isso com ênfase!). Dentro do circuito da Lagoa Azul, tem a Lagoa do S, que é uma das minhas lagoas favoritas. Ela estava vazia, tem uma boa extensão e é clara por inteira! Aliás, vale uma explicação: as lagoas que não secam, no próximo ano receberão mais chuva e acabam criando vegetação, escurecendo a lagoa. Ou seja, as lagoas mais bonitas são as lagoas que secam de um ano para o outro. Lagoa Bonita, por exemplo, não secou no ano passado. Faz uns três anos que ela não seca, então ela não estava tão transparente e estava mais esverdeada. Mas com certeza não estava feia! Porém, na Lagoa Azul voltamos duas vezes! A Lagoa do S é surpreendente! Os passeios são distintos, porém, você pode fazer no mesmo dia. Vale tentar ir para a Lagoa Bonita no período da tarde, para ver o pôr do sol. 

Outro passeio muito bom é o de Atins. É um passeio bem longo, porém vale a pena, pois visitamos outras lagoas, como a Lagoa Tropical. Ela foi a mais bonita que vimos nesse passeio. Bom para conhecer e ver paisagens diferentes. 

Lençóis é muito grande, tem mais de vinte mil lagoas, tem muitos lugares para ver, então é bom ir sabendo o que quer fazer. De qualquer forma, os guias sempre dão as melhores visões do que está acontecendo no momento, pois não dá para se basear em como estava a lagoa no ano passado, por exemplo, pois elas mudam.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
1/1

Recapitulando o Top 4 Passeios:

 

• Quadriciclo, pois é o mais completo;

• Passeio para Atins;

• Passeio para Lago Azul, que tem a Lagoa do S;

• Lagoa Bonita, para ver o pôr do sol, pois lá as dunas são mais altas, fica mais bonito de ser ver o sol indo embora.

Em relação aos preços, os passeios e tudo mais seguem aquele padrão Nordeste, porém, um pouco mais caro, mas é compreensível. São cidades mais afastadas e precisam de apoio para o desenvolvimento. Por lá, não tem a melhor gastronomia do mundo. Embora eu sempre me atentei à gastronomia local, pois conhecer o que as pessoas comem, é conhecer a cultura local. Mas confesso que achei bem fraco, até pelo preço que eles cobram por lá. Mas na avenida Beira Rio, a avenida principal em Barreirinhas, tem bastante opções de barzinhos e restaurantes. 

Falando em natureza, não tem nada que eu tenha visto igual aos Lençóis Maranhenses. Não existe nenhuma beleza natural que já fui no mundo que se compare com a beleza deste lugar, o maior deserto úmido do mundo!