THÁBATA E THIAGO

“Café na cama, eu gosto, com suco de laranja, mamão… Iehê-iê”... pensei esses versos, logo de cara, quando vi o Thiago na garagem do prédio onde mora, no Guarujá, ali no morro do Maluf. O cara transpira praia, de bermudão (ou “berma”), descalço, bronzeado, cabelo loiro de praia e um bigode todo estiloso. “Todas essas pranchas aqui são da minha família”, contou orgulhoso, apontando para uma dezena de pranchas de surf guardadas ali. Escolhemos uma, e colocamos em cima do carro. “Amanhã quando você, Quando você for trabalhar, tome cuidado que é pra não me acordar, eu durmo tarde, a noite é minha companheira, salve o amor, salve a amizade”... e assim que apareceu a Thábata, me vieram esses versos na cabeça. Tanto estilo de praia quanto o namorado, Thiago. Não tinha como imaginar de outra forma, à primeira vista, um completa o outro.

 

É difícil saber onde começa um e termina o outro, Tha, Thi, Thi, Tha… durante a conversa um fala, outro responde e se completam. Se completam não somente nas falas, no dia a dia e na vida. Thiago está se formando em fisioterapia. Thábata se formando em educação física e quer começar fisioterapia ano que vem. Thiago quer começar medicina quando se formar em fisio. Ambos têm vinte e três anos. Ambos trabalham para a prefeitura do Guarujá. Pode parecer aquele papo de “O gato, ou o Quico?”, do Chaves, mas fica evidente que existe uma unidade ali. 

 

Pé na estrada, partimos em direção à praia de São Pedro, no Guarujá. Estava sol, mas eventualmente o céu tomava ares mais brancos, e apesar do calor, não tínhamos muita certeza de São Pedro iria nos ajudar. Mas ajudou. Após uma trilha chegamos à praia da Conchas, cenário do início da nossa sessão. Não teve muito segredo, estava no habitat natural, e o amor entre os dois era verdadeiro, bastou apenas ao casal estar lá. Thábata sempre preocupada com Thiago, ajeitando os cabelos e ele retribuía com um carinho, a qualquer momento. Entre um acorde e outro no violão, o repertório de Thiago passa por clássicos de rock, como Guns n’ Roses à Legião Urbana. E toda apaixonada, Tha, cantarolava e observa o pocket show.

 

Perguntei se já pensaram em sair do litoral, mesmo já imaginando a resposta “Não deixaria o sossego de morar no Guarujá”, respondeu Thiago de forma direta. Thábata ponderou: “Também não consigo viver longe da praia, apesar de não ter nascido aqui, passei a maior parte da minha vida na praia. Moraria em São Paulo se eu conseguisse uma segunda casa, por aqui”, contou aos risos. Porém sempre tem aquele papo de quem mora na praia, não vai a praia. “Nosso dia típico é praia, trabalho e depois faculdade, geralmente”, contam. Faz total sentido não quererem sair do litoral.

 

Mais uma caminhada e muitos goles de água, chegamos à uma linda cachoeira. Contato puro com a natureza, vegetação, água, sol, ar puro, picadas inconvenientes de insetos, mas havia todo sentido, mais uma vez. Thábata mudou todo o processo alimentar, deixou a carne de lado, há oito anos. “Estudei em um colégio religioso, onde a carne era substituída por soja ou outras coisas. Fui deixando de comer aos poucos, comecei a me interessar por ONGs. Sempre gostei de me alimentar com coisas mais orgânicas, alimentação para mim, hoje em dia, é algo bem sagrado”, revela. Já o Thiago não é tão evoluído assim, e não dispensa um bom churrasco. Nada que a influência da namorada não possa ajudá-lo a se transformar, num futuro próximo.

 

Olhar um casal assim, com tanta sinergia e com tanto amor, me fez pensar que poderiam ser personagens de algum filme, ou alguma novela. Thábata sorri com os olhos, com covinhas, e Thiago é o sossego puro. Essa harmonia é transparente e cristalina, como a água, e a felicidade vem das coisas simples da vida, como a natureza, a cuplicidade e o amor puro.

© 2016 by Revista TU