bg_cozinha.png
TU NA COZINHA
TOSTADA DE BRIOCHE DE COM HOMUS DE BETERRADA E PICKLES DE ABÓBORA
POR CHEF DANILO ROCHA

O chef Danilo Rocha preparou uma receita para você encher sua mesa de cor e sabor. E colocá-la em prática não é nenhum bicho de sete cabeça. É só seguir o passo a passo a baixo e impressionar com um prato delicioso e colorido. Está esperando o  que para fazer esta receita e marcar a gente no Instagram mostrando como ficou o sue prato? Queremos ver!

cozinha01.png

Pickles de abóbora 

• 10 fatias abóbora japonesa (cabotiá)

• 200 ml Vinagre de maçã

• 75 g de açúcar

• 8 g de sal

• 6 sementes de zimbro

 

Fatie a abóbora bem fininha, deixando a casca e retirando as sementes. Cozinhe as fatias com todos os ingredientes e deixe ferver por 5 minutos. Reserve em um pote fechado na geladeira por 2 dias antes de servir.

•••

Homus de beterraba

• 250 g de grão de bico

• 1 cebola

• 1 colher de sopa de tahine

• Sal a gosto

• 1 colher de sopa de azeite

• Hortelã a gosto

• 1/2 beterraba crua

 

Deixe o grão de bico de molho por 12 horas. Processe todos os ingredientes e tempere com azeite e sal. E reserve.

 

Para a montagem, fatie um pão brioche de forma na horizontal e toste ambos os lados com manteiga. Passe o homus e espalhe as fatias de abóbora pelo pão, salpicando alguns pedaços de queijo gorgonzola e algumas folhas de coentro. Bom apetite!

•••

A DEMOCRACIA DA GASTRONOMIA

Um lugar democrático? Esse lugar não é a cozinha.

Costumo falar em minhas aulas:

A cozinha te abraça, porém ela te engole!

 

E engole mesmo. Seja por machismo, homofobia, racismo, classe social ou xenofobia, às vezes ela vai te engolir porque você não está preparado, tecnicamente ou emocionalmente.

 

Quando falo ou penso em grandes chefs, percebo que deixo de lado as mulheres, o que me faz um machista em desconstrução, porque ao pensar em minhas referências, as grandes chefs estão sempre no topo da lista. Minha bisavó, Dona Izilda Monteiro, cozinheira de mão cheia. Minha mãe, Mônica Rocha, que me ensinou e me ensina as "manhas" da cozinha doméstica. E as chefs profissionais: Bel Coelho, Paola Carosella, Carla Pernambuco e as santistas Katia Lopes e Sandra Bacará, inundam meus pensamentos quando monto um menu para algum restaurante ou preparo alguma receita especial para as minhas aulas. 

 

A liderança da cozinha costumeiramente foi deixada nas mãos de chefs arrogantes, autoritários, vaidosos e prepotentes como todos ditadores são. Porém, esse padrão está mudando. A ilusão de um chef com sotaque francês, que chuta fogão e humilha trabalhador, não tem mais espaço. A popularização da profissão de cozinheiro nos ajudou a abrir os olhos para esses tipos abusos.

Uma das minhas missões como professor de gastronomia é justamente alertar os alunos que esse padrão não é aceitável. Que a cozinha é um ambiente de trabalho como qualquer um, que o sonho de um jovem não pode ser soprado para fora da cozinha por um risoto mal feito e que não somos definidos por uma foto postada nas redes sociais.

Somos trabalhadores, cozinheiros, alquimistas da cozinha, piratas do fogão e, com esse romance todo, ainda somos pessoas. 

HARMONIZA COM
SAN PEDRO 1865 SELECTED VINEYARDS CARMENÈRE 2015

Vinho tinto chileno da região do Valle Del Maule, ele é produzido com a uva emblemática deste país (Carmenère), o que potencializa muito suas enormes qualidades. Possui uma cor vermelho rubi intenso com tons violáceos. Os aromas são bem característicos com notas de amora, cereja, tabaco, chocolate, especiarias e pimenta. Na boca é encorpado, denso, concentrado e muito equilibrado. Harmoniza muito bem com carnes vermelhas grelhadas, aves assadas com molhos condimentados, massas ao sugo e risotos de queijos fortes. O estágio por doze meses em barricas de carvalho francês e americano servem para arredondar ainda mais a obra. Pode ser decantado para separar possíveis sedimentos e abrir ainda mais seus aromas. Deve ser servido entre 13ºC e 15ºC.   

POR NÍCOLAS PÓVOAS
vinho.png