bg_bebeu.jpg
TU BEBEU
HISTÓRIA DA CERVEJA EM SANTOS
POR LÍVIA MIRANDA

Nossa cidade, além de ser referência para o futebol, artistas da música e televisão, também foi uma grande referência em cerveja, antigamente. Pois Santos era um dos destinos mais importantes das colônias, principalmente por causa da família real portuguesa, que se instalou na região e, juntamente da abertura do porto, fazia com que as novidades chegassem primeiro por aqui. 

Em 1808, desembarcaram os primeiros barris de cerveja, que na época eram de madeira, vindos principalmente da Inglaterra, fazendo com que os santistas provassem as cervejas importadas antes mesmo dos paulistanos. Em 1810, começaram a chegar muitos imigrantes no país (alemães, suíços, austríacos e outros países) e o consumo de cerveja aumentou consideravelmente. E foi nesta época, em 1836, que surgiu a primeira fábrica no Rio de Janeiro, a cervejaria Ritter, criada por um alemão.

Enquanto isso, aqui em Santos o porto continuava a todo vapor, recebendo os navios com muita cerveja, porém, elas eram caras, não sendo acessível para todo mundo. Com isso, um imigrante alemão, Bruno Feder, que dois anos antes havia montado uma distribuidora de bebidas em Santos, vislumbrou uma grande oportunidade e criou a cervejaria São Bento, a primeira da região, localizada nos arredores do Morro do São Bento. Os primeiros estilos produzidos foram Porter e Pale Ale. A cervejaria chegou até a ganhar medalha de bronze em alguma exposição Brasil + Alemanha. Em 1895, com a morte de Bruno, seu filho assumiu os negócios e passou a investir na publicidade. Substituiu os barris de madeira por garrafas de vidro, chamando a atenção e fazendo sucesso na capital paulista até 1905, onde surgiram mais duas novas cervejarias, a Recreio Santista e a Cervejaria União, gerando muita concorrência entre elas, mas quem ganhava eram os consumidores, pois tinham produtos de alta qualidade com preço justo. 

1/1

Após isso, ainda surgiram outras cervejarias importantes para a região, como a Braz Cubas, em referência ao fundador da cidade, e a Cervejaria Penha. Mas, ao passar dos anos, as cervejarias locais foram perdendo a força com a instalação de grandes empresas na região, como a Antártica, que se tornou a maior e mais famosa cervejaria do estado. Ela implantou uma filial em Santos em 1920 e se manteve ativa na região até os anos 80.

E foi assim que Santos deixou de ser o centro produtor de cerveja. Mas, esse hábito tem retornado a região, com ótimas cervejarias que estão ganhando cada vez mais espaço no mercado artesanal do país.

CURIOSIDADE

Duas grandes curiosidades sobre a história da cerveja em Santos são que a famosa cerveja escura Caracu foi inicialmente produzida em Santos, no mesmo lugar onde surgiu a primeira lata do Brasil, a Skol, na década de 70.

© 2016 by Revista TU